Exposição: Pau-Ferro: Uma Poética Tridimensional - 10 de OUTUBRO/2014

RELEASE PAU-FERRO

A exposição Pau-Ferro do artista plástico Sérgio Soarez  apresentou  explorações estéticas associadas à religiosidade afro-brasileira. Ao buscar romper com as imagens e objetos já cristalizados pelo consumo turístico, e pela espetacularização comercial da religião, o artista explorou e extrapolou os rituais vivenciados nos terreiros de Candomblé da Bahia, sua terra natal, inventando  outro “lugar” para o sagrado e para seus deuses: os orixás.

O ferro e a madeira são os  principais elementos das   esculturas,  relevos e objetos.  Eles se ligam à trajetória pessoal de Sérgio Soarez que tem Oxossi e Ogum como divindades guias.  Ogum, o senhor das batalhas, representado pelos  objetos de ferro e Oxossi, o grande caçador das matas, pelos objetos de madeira. A junção desses elementos lhe permite apresentar uma visão contemporânea de todas as divindades cultuadas no Candomblé.

Neste caminho criativo o artista recorreu à técnica da  assemblagem e incorporou elementos da casa brasileira como colheres de pau, facas, pratos e copos  misturando-os aos fragmentos de móveis antigos e portões de ferro para imprimir um estilo próprio e admirável. Uma acumulação peculiar que mostra devoção e talento.

O artista Sergio Soarez, nasceu em Salvador (BA), em agosto de 1968.  É  um dos artistas plásticos com obras publicadas no livro “A Mão Afro-brasileira” (Museu Afro Brasil – São Paulo, 2010. Vol 2), que destaca os novos nomes da arte contemporânea, de acordo com o Curador e artista plástico Emanoel Araujo.

“ Suas assemblagens dedicadas à mitologia dos deuses da religião afro-brasileira são uma, entre outras, das elaborações estéticas já experimentadas pelo artista. Nelas, alia seu conhecimento e sua prática religiosa numa experimentação estética bem concebida, bem articulada,  na união de diferentes matérias, como os fragmentos em madeira, já vividos em outros objetos de diferentes usos nos quais ele trabalha o sagrado com a devoção de seu conhecimento”. (Emanoel Araujo, 2010)

Sergio Soarez atuou como Coordenador do Departamento de Difusão Cultural – Secretaria Municipal de Cultura de Belo Horizonte  - MG; Educador  - FUNDAC  - Salvador  e Coordenador  e Instrutor na Oficina de papel Artesanal  Projeto Axé – Salvador (BA) .

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Imagem Ilustrativa: